GLAN - Grêmio Literário de Autores Novos
"Um Celeiro Cultural"
"Um Celeiro Cultural"
O GLAN
Novidades e Eventos
Poesias
Contos
Humor
Galeria de Fotos
Dia das Mães
 

     

 


2009


Prece Materna

Quando imagino, ó minha mãe querida,
no dia em que cessar a tua prece,
e não subir a Deus por mim, parece
até que já não tenho a luz da vida.

Quando faltar a tua mão ungida,
quem haverá por mim que se interesse
em pedir ao senhor copiosa messe,
com agora lhe pedes sem medida?

Longos anos de vida, todavia
nas orações a Deus, dia após dia,
perseveraste minha mãe, comigo.

Vai chegar o seu dia derradeiro,
vai apagar a chama do luzeiro,
mas toda bênção ficará contigo!

Pedro Alves Viana Filho


Tributo à Minha Mãe

Eras na vida uma expressão altiva
Que sob a luz teus braços refletiam
Porém, por teus olhares permitiam
Encontrar todo o belo que cativa

Porte altaneiro de elegância fina
Mostrado ao céu no caminhar sereno
Imagem presente que ainda pequeno
Costeia por toda a minha retina

Eras o idílio d'um sublime amor
Cantado aos cantos da vargem florida
Glória de uma inspiração incontida
Eras meu alicerce meu Penhor

Eu sei que um dia te verei mais bela
Qual rubi cravado no anel de dedo
Aí...Seguirei contente...Sem medo
Pra também provar sons dessa capela

Oh! Mãe de minh'alma, divina rosa
Suave orvalho do céu! És bendita
Brados do filho qu'em ecos se agita
Nos líricos tons desta última prosa.

Teodorico Mendes Assis

Idolatrada

Num olhar encontra-se tanta perfeição,
Dizem tudo sem tocar,
A fascinação,
A admiração,
A inocência,
E a pureza.
Palavras que não serão faladas,
Mas num olhar fala-se muito,
O que se quer,
O que se tem,
O que se desejas.
Firmo-me deslumbrantemente em tua perfeição,
Na benevolência de minha existência,
Não serei capaz,
Nos meus braços ti ter,
A fragilidade de tua doçura me é iluminada.
Perfeição comparada a uma relíquia da Pérsia,
Perfeita no formato,
Perfeita nas linhas,
Perfeita nas gravuras,
Perfeita na arte.
No entanto somente posso admirá-la,
E não tocá-la,
Num olhar aumenta minha ansiedade e vontade,
E em meus braços surge a vontade de apertar forte,
E num leve olhar cruzado,
Dizendo: Amo-Te minha mãe.

Edson de Souza Sampaio

Mãe! Teu nome soa bem!

Mãe!...
Teu nome vem a mim...
Bem timbrado!
E ao teu filho soa,
Muito bem!
Honrosa e Pureza de Palavra,
De apenas três letrinhas que o mundo tem!...
"M" de MÃE e Mulher...
"Ã" de AMOR... esse Amor de Mãe...
"E" de ELO... que nos unes e nos ligas a esse teu grande Amor de Mãe!...
Mãe!...
Por ti fui gerado!
E desejado!
Em dupla acção!
Mãezinha de meu coração!

Pinhal Dias - Amora - Portugal

Mãe Laurinda

Minha mãe...custa tanto não ser criança
Meu grito de amor deixo aqui
Trago meu coração vazio de ti
Vejo passar a idade que cansa

Teu olhar toda a hora me alcança
Mãe Laurinda!... Pra que foi que'eu nasci?
Tu sabes como chorei...como sofri
A saudade de ti nunca descansa

Trago-te rosas vermelhas e beijos
A dor de não te ter abre desejos
Ainda sou o menino que antes era

...Ao fim de tantos anos e trabalhos
Pra dormir tenho de ouvir uns ralhos
Mãe...Na noite meu sono por ti espera!

Luiz Felipe das Neves Fernandes -
Portugal

2008


Oração às Mães

Louvado seja o Senhor por Maria, Mãe carinhosa e santa de Jesus e de todos os filhos da terra.
Louvado seja o Senhor pelas Mães velhinhas que se encontram recolhidas nos asilos, abandonadas pelos próprios filhos e no entanto oram seguidamente por eles.
Louvado seja o Senhor pela Mãe adotiva, que acolheu com carinho e amor o órfão abandonado sentindo-o como se seu filho fosse...
Louvado seja o Senhor pelas Mães dos deficientes que se tornam vitoriosas pela dedicação sem limites e fé inabalável.
Louvado seja o Senhor pelas Mães dos vencedores, dos vitoriosos, dos virtuosos que triunfam na luta pela justiça e pela paz.
Que o Senhor, na sua misericórdia, atenda aos rogos das Mães dos alcoólatras, dos drogados, dos fracassados e revoltados, marginalizados e oprimidos por perseguições e injustiças..
Que o Senhor console o coração das Mães, cujos filhos sofrem e morrem vítimas da violência e maldade de muitos.
Que o Senhor dê o consolo também àquela mulher que muito desejou ser Mãe e não teve o seu sonho realizado. Que esta mulher saiba distribuir seu amor entre tantos abandonados que precisam de um coração cheio de afeto para os acolher e confortar.

Nathalia Lucinda Chaves


Trovas

O mundo é grande e profundo,
Lindo, majestoso, eterno...
Grande, maior do que o mundo
Ainda é o amor materno.

Pedro Alves Viana Filho

O amor de mãe era tanto
na pequena estrebaria,
que o sol curvou-se ao encanto
da luz do olhar de Maria!...

Regina Célia de Andrade

 

Acalanto para um ser especial

Doce criança que o berço embala
Ao som do canto de harmonia
Na consonância que o amor exala
Desse acalanto em sintonia

Doce criança que o manto enfaixa
Na anestesia de silente imagem
Olhar dolente em nada encaixa
Sorriso ausente, fechada linguagem

Doce criança que flutua em pluma
Essência oculta sem aflorar
Nasceu serena moldada em bruma
Vida ferida ao despertar

Doce criança ,gentil prisioneira
Na sombra-enígma da própria mente
Sempre a teu lado a apagar estígma, a quebrar barreira
Serei tua voz, firme, potente, clara, fremente

Doce criança, meiga e suave
Clamo ao porvir teu renascer
Liberta, enfim, pequenq ave
Alçando vôo a bel-prazer

Doce criança, filhinha amada
Nesse acalanto sou a mãe-fada
E pelo poder do condão mágico
Em luz perfaço teu viver adágico

Sheila Maria da Silva Leijoto

Para minha mãe Carmem

Nesta tarde ensolarada
o jardim está florido
para festejar a mãe amada
nesta data tão querida.

Ao regar as plantinhas
vi um beija-flor alvissareiro
d'água aproveitar as gotinhas
num banho todo faceiro.

Mãe querida, mãe fiel
quero te contar; o mês de maio surgiu...
e neste Dia das Mães tudo ressurgiu...
Na saudade de ti muito cruel.

Na ausência, esta certeza
me traz saudades mil...
Mas quando contemplo a natureza
te vejo mãe, neste belo céu de anil!

Nas lembranças desta vida
te sinto na Mãe do Céu
o amor de mãe querida
num solar delicado de mel!

Ana Alves de Oliveira


Mãe

Mãe, eu sou!
Porque você me fez ser
não sei se sou por completo, mas...
Todo esse amor que no meu coração aperta,
quando a saudade aumenta,
toda essa aflição por não lhe proporcionar
o que realmente anseia.
Toda essa ternura que experimento,
quando acaricio você.
Toda essa alegria por algum sucesso
que alcança.
Todo esse alívio,
quando vejo seus olhos sorrirem,
toda essa proteção que gostaria de lhe dar.
Tudo, tudo, tudo...
faz-me sentir abençoada
faz-me viver a alegria da vida
que sempre encontrarei em você.

Vania Maria Medeiros de Fazio Aguia

Mâos

Mãos queridas
que amam
afagam.

Mão sofridas
endardidas
de terra.

Mãos suadas
no tacho
de doce.

Mãos calosas
que carpem
a terra.

Mãos suaves
nos olhos
da gente.

Mãos que eu molho
com [água
dos olhos.

Mãos que eu vi
inertes no peito
Enlaçadas.

Tuas mãos,
Mãe!

Anna Maria Avelino Ayres


Doce canção

Ouço uma doce canção
que brande suavemente
o ar que a carreia.
E tamanha emoção
desnorteia minha mente
que ébria ziguezagueia.

Recordo-me na janela
na casa pobre do campo
contemplando a doce cena.
Mal vestida, porém bela
Mamãe entoava um canto
Esfregando a roupa, amena.

Um instante de nostalgia
elado nos belos tempos
da ¨vida¨ em puberdade.
Ensaio uma breve alegria
perdido em pensamentos...
Mamãe... Quanta saudade!

Ivanildo Martins Gonçalves

Mãe! Teu nome soa bem!

Mãe!...
Teu nome vem a mim...
Bem timbrado!
E ao teu filho soa,
Muito bem!
Honrosa e Pureza de Palavra,
De apenas três letrinhas que o mundo tem!...

"M" de MÃE e Mulher...
"Ã" de AMOR... esse Amor de Mãe...
"E" de ELO... que nos unes e nos ligas a esse teu grande Amor de Mãe!...

Mãe!...
Por ti fui gerado!
E desejado!
Em dupla acção!
Mãezinha de meu coração!

Pinhal Dias (Portugal)

Mãe

Onde está sua voz

Sua paz pra me acalentar?

Pra suavizar o fel da amargura que sinto agora?

Onde estão suas palavras doces capazes de confortar

e apaziguar as turbulências da alma?

Onde estão o afago de suas mãos e o abraço protetor

que tanta segurança nos transmitia?

Oh! tempo cruel, que passou mas não me ensinou

a superar a saudade que sinto de ti Jemima, inesquecível

e eternamente amada Mãe!

Mari-Lei Nobre

 

2007

Minha Mãe

Tua imagem bem gravada
eu  guardo em meu coração.
E na memória aninhada,
lembranças, muita emoção!

Os cuidados com o jardim,
naquela explosão de cores.
Faces rubras qual carmim
No meio de tantas flores!

Com orgulho, hoje, te lembro,
preparando-me pra vida.
Mil conselhos, reprimendas...

Em meu passado relembro.
Que saudades, mãe querida!
Sim. Tuas mãos eram prendas.

(À minha mãe, ausente sempre presente)

Nelita Teixeira

 

Mulher e Mãe

Amiga e Mãe de verdade
Bondade... faz o seu lema
Coragem diante à maldade
Dignidade ... lhe dá o tema

Esperança...fornece-lhe a força
Fraternidade ... tem como luz
Generosa no amor se reforça
Honradez ... na trilha certa a conduz.

Incansável, o homem ela apoia
Jovial sempre... para o amor ofertar.
Lealdade a brilhar como jóia
Majestosa ao receber e doar.

Ninfa do amor e da paz
Obra prima do Deus do Amor!
Paciência ... a maternidade lhe traz.
Quartel que espanta o “terror”.

Resistência ... tem de sobejo.
Sabedoria ... sempre a conduz.
Ternura...tem o seu beijo!
Única a dar a luz.

Videira que fornece a” vida”
Xerifa” na manutenção da paz.
Zeladora que só leva à subida
“O alfabeto esta homenagem lhe faz.”

Nathalia Lucinda Chaves

 

Ser Mãe

Ser mãe
É viver
Dando vida
Conquistar alma
Com exuberância
Afirmar o esplendor divino

Espiritualmente grande
Ser mãe
É o espargir de leite
Por chafarizes côncavos
De torneiras róseas
Macias
Expelindo cascatas brancas
De vital fecundidade

Ser mãe
É ser estrela
Da estação vida


Cosme Custódio

 

Mulher

A letra M é a mais forte
que o abecedário contém.
Começa a palavra morte
a de mulher e a de mãe.

A morte, tarde ou cedo vem
não escolhe sexo ou idade
e quando parte deixa alguém
chorando de dor e saudade.

A mulher, tem o seu dia
no calendário e na vida
ser mulher, é paz também.

Ser mulher, é alegria
de dar à luz enternecida
e ouvir chamá-la de mãe.

Gloria Zorro – Portugal

Mãe

No canto do passarinho
No perfume da flor
Na rosa e no espinho
Encontramos o amor

Aquele amor que à noite
Embala o sono da gente
Que canta quando eu canto
Que chora com a minha dor

Que ao pensar no futuro
Sonha sempre ter a luz
Que ilumina os meus passos
Guiados por meu doce Jesus

É minha mãe querida
Que tudo faz, tudo vê
Que tudo espera da vida
Que ama, vive e crê.

Icléa Conceição Goulart Gama

 

Mãe

Quando me vem esta dor, esta saudade
moldando na memória a palavra MÃE

Guardo para me embalar
a lembrança de tua leve passagem.

Esse nome provoca em mim
o carinho que não me foi dado conhecer.

Nome mágico, envolvente, de embalo.
Enorme na pequenez!

Procuro no olhar das mulheres grávidas
o que teus olhos gritaram
quando me concebeste
no sacrário do teu ventre.

Recolho de cada gesto a carícia
com que me recebeste ao nascer.
E encontro um pouco de ti
no olhar da mãe atento ao filho.

Entrego, minha MÃE, meu corpo exausto
em teu colo imaginário
e regresso à infância.

Quando é em mim este silêncio
que te projeta, sei que só uma palavra
é necessária e urgente – MÃE.

Maria José Bulhões Maldonado

 

Sonho de Mãe

Minha mãe, feliz eu estou
navegando em alto mar
em um barco, querida mãezinha.
Navegando com nosso Senhor.

Nesse barco eu levo o amor
e as orações de todos vocês
e navego feliz, minha mãe
embalado no amor de Deus

Eu amo muito vocês
e jamais os esquecerei

levarei para sempre, mãezinha
o amor de todos vocês.

Não se esqueça de que feliz eu estou,
navegando com nosso senhor,
no barco também tem Maria
que no dia-a-dia fala de amor.

Seu telefone já não fala mais,
mas nesta poesia eu falo a vocês
que vivam felizes na terra,
que um dia no céu felizes seremos.

(Poesia declamada por Rilton de Oliveira Rodrigues, em sonho na noite do dia 27 de dezembro de 1998, às 04h e 30min  à sua mãe Maria das Graças de Oliveira Rodrigues)

Publicada na XXI Coletânea de Contos e Poesias

 

Mãe, minha negra flor

Num banquinho de madeira
simples de beleza escassa,
sentadinha à sua maneira
ela posa com sua graça.

Parece uma negra flor,
bem arrumada, com zelo,
contrastando sua negra cor
com o laço branco do cabelo.

De vestidinho branco rodado
prensado à altura do peito,
e um cordão levemente esticado
ela posa simples ao seu jeito.

Sua face trás um encanto
e uma indecifrável emoção,
talvez medo ou espanto
fruto de alguma pressão.

Só posso ver minha negra flor
como a imaginação alcança...
Tudo o que tenho é seu amor
e essa foto dela, ainda criança.

Ivanildo Martins Gonçalves

 

Confissão

Mãe, queria te falar,
da Saudade que em meu peito dorme...
Lembrança , que paira leve em meu coração...
Saudade da tua voz...tuas canções...

Ando triste...

Queria sentir o perfume das rosas
do teu jardim,
sentir teu carinho,
pois me sinto tão sózinha!!!

Se pudesse te acordar desse sono,
que ainda dormes
Se soubesses, como a  alegria se esvai,
quando meu coração as vezes morre...
Ah! mãe...se soubesses !

Acho que mudei...
a dor me fez sombria
Não tenho mais a alegria ,
que de mim, nunca fugia...

Um segredo a ti vou confessar...
-Em certa noite de luar
Uma estrêla encontrei.
Era uma estrela diferente,
 parecia me fitar.
Com a rapidez de um meteóro
eu pude , essa estrela tocar

O brilho era tão intenso,
que parecia me ofuscar.
E assim foram muitas noites...
Não mais me sentia só,
tinha a minha estrêla para contemplar
Queria que o tempo parasse,
pra meus momentos eternizar...
Mas como tudo tem o momento certo,
minha estrêla se foi ,
seguindo sua trajetóia, sua vida,
sua história...
E hoje , com a voz cansada,
Já não  canto versos ,
apenas contemplo o luar,
na esperança de ver lá no alto,
cada vez mais longe,
minha estrêla  brilhar...

Mãe, vai nesse poema,
um breve adeus...
Aqui, aonde estou,
não tenho mais tuas palavras sábias
a me guiar
Não tenho mais teu carinho
a me abraçar
Vivo das lembranças que você me deixou
Vivo dos valores que você me legou.

Thais Nobre

 

Dia das Mães
 
   
 
   
 
   
 
   
 
 
 
   
 
   
 
O GLANNovidades e EventosPoesiasContosHumorGaleria de Fotos