GLAN - Grêmio Literário de Autores Novos
"Um Celeiro Cultural"
"Um Celeiro Cultural"
O GLAN
Novidades e Eventos
Poesias
Contos
Humor
Galeria de Fotos
Poesias

Gloria Zorro - (Portugal)

Adoro-te meu Rio Sado

A lua por ti eternamente apaixonada
Vem andando ao teu encontro do Sul
Para banhar-se na tua linda Baía azul
Sempre que a noite bela está estrelada

Meu Sado majestoso e tão bem amado
Tens amores junto de ti e mais distantes
Tróia Albarquel Figueirinha são amantes
Com ciúmes do beijo as Praias do Sado

Praias lindas que alimentam o teu amor
À luz do Sol em lindas tardes de Verão
O teu azul tem uma tonalidade sem igual

Porque tu, meu rio és de todos o melhor
Tens a grandeza da bela Torre do Outão

E és o mais lindo dos rios de Portugal

Não estraguem a Arrábida; o nosso tesouro

Eleita por Sebastião da Gama, o nosso poeta
Chamou-lhe Serra Mãe, montanha e matagal
É única no género e não só aqui em Portugal
Bem digna de pincel, tintas e também paleta

À sombra o entardecer ali fora muito antes
Em baixo corre o rio nostálgico e, azulado
E toda a vida nela, nos parece ali ter parado
A serra vai dormir dentro de alguns instantes

Arrábida bem serrana , Arrábida mística
Arrábida  muito  nossa, Arrábida turística
Eu quero olhar para ti do mar até aos céus

Um lugar de sonho és dos maiores da terra
Sobre esse teu mar de jade, tens a tua serra

E sobre a tua serra, tens a bênção de DEUS

 Ser mãe

Mãe! É julgar que o mundo tem
Quando um filho tem nos braços
Sonhar sempre, vê-lo alguém
Alguém firme nos seus passos

Mas, vai crescendo o menino
Faz-se homem, julga-se alguém
Mas, afinal o seu negro destino
Não é o que sonhou a sua mãe

E, o que mais a faz sofrer
Desta vida já nada querer
É saber que já não tem

O filho que Deus lhe deu
Roubaram-no já não é seu

E, ninguém lhe chama mãe

 Horas

Horas paradas
Tão tristes, tão magoadas
São minhas noites passadas
Olhando sem nada mais ver
Horas perdidas
Tão tristes tão doloridas
Fortemente tão sentidas
Sem nenhum sentido ter
Horas passadas
No meu destino vazio
Horas geladas pelo frio
Que vem do meu coração
Horas roubadas
A um relógio já parado
Que um destino malfadado
Todas as suas peças tirou
Horas trocadas
Sem tino, razão ou mando
Horas passadas, marcando

O tempo que já passou

Setúbal, o Sado e a linda Baía

Quando o Sol nasce além, por detrás da serra
Deixando no espaço infinito, réstias de luar
O Sado é mais belo e namora a sua terra
Que juntinho a ele formam o mais belo par
O Astro Rei o Sol dá-lhes a tonalidade
De um novo Arco-Íris com todas as cores
E os barcos para a pesca partem da cidade
Levando homens que ensinam a falar d’amores
Todos os visitantes, e qualquer turista
Que escolhem Setúbal, Princesa do Sul
Não ficam indiferentes, ao que lhes prende a vista
Neste Sado único nos seus tons de azul
Pedaços de Céu pincelados com harmonia
Beijam suas águas em cada instante
Quer seja de noite madrugada ou dia
Deixando Setúbal, ainda mais sua amante
Eu, estou feliz e muito orgulhosa
Por ter em Setúbal aqui nascido um dia
E saber que hoje é muito mais famosa
Aquela que é, a nossa linda Baía
A partir de agora vai ser mais falada
Com um sentimento muito mais profundo
Desde 13/11/2002, com a sua entrada
No clube das mais belas Baías do mundo
Ali.no romântico jardim da Beira-Mar
Existe, um cantinho privilegiado
Onde às vezes vou, para ver namorar

A linda Setúbal com o belo Rio Sado

Voltar

 


  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O GLANNovidades e EventosPoesiasContosHumorGaleria de Fotos