GLAN - Grêmio Literário de Autores Novos
"Um Celeiro Cultural"
"Um Celeiro Cultural"
O GLAN
Novidades e Eventos
Poesias
Contos
Humor
Galeria de Fotos
Poesias

Nelita Maria da Silva Teixeira

A Chaminé.

Região de muita terra!
Um rio, montanha e prados;
Aqui viviam dois povos,
Os Puris e os Coroados.

Nessa imensa região,
Outrora sertão “bravio”,
Depois mui ricas fazendas,
De café era o plantio.

O gado e as plantações,
O progresso ia chegando.
O engenho de açúcar,
A minha gente empregando.

Quando eu fui construída,
Em 1903
Fui orgulho do meu povo,
Como hoje de vocês.

Assisti a toda mudança.
As ruas sendo calçadas,
Luz elétrica chegando,
Nas casas água encanada.

E o movimento aumentando.
Máquinas pra todo lado,
Mineiros e nordestinos.
Trabalho tinham um bocado!

Perguntei: que será isso?
Que reboliço, afinal!
O progresso ali estava:
Siderúrgica nacional.

Tudo foi sendo mudado.
Nem gado, nem café.
Muita coisa derrubada,
Só eu continuo em pé!

E o povo participando
Com muita animação
Por causa da CSN
Veio a emancipação!

Quem mais marcou seu 
Progresso,
Foram os trabalhadores.
Operários conscientes
De direitos e deveres.

Eles fizeram a história
Sou testemunha e dou fé.
Quem lhes fala essa verdade
É o marco histórico:
A chaminé.

 

 

 

 

 

 

 

 

A Chaminé

As Estações da Vida

Ciclopes Cidadãos

Minha Mãe

Meu Pai

Homenagem à Mulher

O GLANNovidades e EventosPoesiasContosHumorGaleria de Fotos